Sunday, March 23, 2008

Previsível

A retórica de Pequim face à questão tibetana. Bloqueando o acesso de jornalistas estrangeiros ao Tibete e reagindo desta maneira, as autoridades chinesas repetem erros do passado.

Vale a pena ler o dossier da Xinhua sobre os acontecimentos de Lhasa.

A narrativa latente nos media internacionais , especialmente no Ocidente, tem os seus juízos normativos bem claros. As atitudes de Pequim reforçam essa percepção. Na batalha mediática a China parte em desvantagem e dá constantes tiros no pé.

2 comments:

COD said...

Caros amigos,

Respondo aqui aos comentários sobre o meu texto "O Risco dos Jogos".
Em primeiro lugar, o texto foi escrito antes de terem rebentado os protestos. Logo, parece que tinha razão.
Depois é assim: não me vou, neste espaço, esmifrar em argumentos. Desafio a responderem, sem ser ao abrigo do anonimato,como eu faço, no jornal Hoje Macau.
Bem sei que não defender a causa tibetana é politicamente incorrecto, mas isso nunca me afectou. Pelo contrário, até gosto de "épater le bourgeois"...

Carlos Morais José

PS: Também não gosto dos Falungong.

Nuno said...

Deve haver aqui algum equívoco. Os dois comentários que foram feitos a esse infeliz texto - disse-o e reitero-o - estavam devidamente assinados, um por mim, Nuno Lima Bastos, e o outro pelo meu amigo Arnaldo Gonçalves. Aliás, este blogue não permite comentários anónimos. Se, na nossa identificação no título das mensagens, só aparecia «nuno» e «ag», é defeito do blogspot, não qualquer intenção nossa de escrever sob a capa do anonimato (do mesmo modo que também só aparece aqui «cod»...).

Aproveito para acrescentar uma nota ao que então escrevi: o texto «O Risco dos Jogos» mais parecia um frete a certos interesses do que um trabalho do Carlos Morais José que eu julgava conhecer. Lamento, mas é a minha sincera opinião.