Friday, May 13, 2005

O Povo Primeiro

A China garante que caso os dirigente de Taiwan coloquem de lado o cenário da independência, vai cessar a ameaça militar contra a Ilha Formosa.
Este foi um dos pontos do comunicado conjunto resultante do econtro de James Soong, líder do Partido o Povo Primeiro com o Presidente Hu Jintao.
James Soong regressa hoje a Taiwan com uma promessa na bagagem. Se Taipé colocar de lado o cenário da independência, Pequim compromete-se a acabar com a ameaça militar.
Questionado sobre como é que iria convencer o líder pró- independentista de Taiwan, Chen Shui-bian, a colocar de lado a ideia de autonomia da ilha, Ó líder do Partido o Povo Primeiro respondeu que "basta as autoridades de Taiwan concretizarem promessas anteriores".
Soong citou uma declaração conjunta entre o Partido o Povo Primriro e o líder taiwanês, no dia 24 de Fevereiro.
Nesse documento, Chen Shui-bian comprometeu-se a não declarar a independência da ilha ou realizar referendos sobre temas sensíveis como a soberania do território.
O encontro entre Hu Jintao e James Soong foi alvo de grande cobertura mediática.
O aperto de mão entre Hu Jintao e James Soong, líder do Partido O Povo Primeiro, bem como um breve discurso inicial dos dois políticos, foram transmitidos em directo pela televisão para todo o país.
Nas declarações, Hu Jintao e James Soong enfatizaram a mensagem de que o diálogo entre as duas margens "é uma resposta à expectativa de "paz" de todos os chineses e taiwaneses.
Soong declarou a Hu que o PPP "nunca considerou que a independência de Taiwan devesse ser a escolha da ilha, porque só poderá trazer guerra e desgraça".

1 comment:

Eastend Gangster said...

Muitos parabéns pelo excelente blog. Desde já peço encarecidamente que a quantidade e qualidade de posts se mantenha neste bom nível. A China importa cada vez mais e nós aqui noutras partes do mundo precisamos de informação actualizada e inteligente todos os dias, como esta página da internet proporciona.

Quanto à questão de Taiwan e o comunicado de Hu Jintao, no seguimento do encontro com James Soong, a definir o princípio de "Uma China" como indispensável para qualquer tipo de negociação - clarificando o alegado consenso de 1992. Esta situação coloca uma terrível pressão sobre o governo da ilha...

Como é possível retomar agora negociações estando a posição da China tão extremada, negando o direito de Taiwan decidir o seu futuro e contrariando a situação de independencia actual, na prática?

Obrigado pela atenção e continuação deste fabuloso trabalho no blog.

Abraço!