Thursday, April 14, 2005

Tensão crescente

Image hosted by Photobucket.com
Uma provocação. É assim que o ministério chinês dos negócios estrangeiros classifica a atitude de Tóquio. O governo japonês aprovou a exploração de gás natural e petróleo numa área reclamada por Pequim e Tóquio no Mar da China Oriental. O ministro japonês da economia anuncou que vai começar a avaliar os pedidos de empresas interessadas em explorar gás e petróleo numa área classificada pelo Japão como zona económica exclusiva. Questionado se esta situação não vai piorar as relações coma China depois da polémica dos manuais de história, o primeiro-ministro nipónico Junishiro Koizumi defendeu que se trta de assuntos diferentes. O governo japonês adiantou ainda que já informou a China do projecto. Mas Pequim não aceita estas justificações. O porta-voz da diplomacia Chinesa disse que além de ser uma provocação, esta atitude do Japão desrespeita os direitos da China e as normas das relações internacionais. Por isso, o governo chinês já apresentou um protesto junto de Tóquo e reserva-se ao direito de retaliar diplomaticamente. Em causa está uma zona do Mar da China Oriental, que a China já começou a explorar parcialmente em 2003. Em 1999, um estudo japonês estimava que existem 200 mil milhões de metros cúbicos de gás natural nessa zona. Este assunto é por demais importante, uma vez que a China e o Japão são dos dos maiores importadores de energia do mundo. Precisam por isso de diversificar as fontes, e de reforçar a exploração doméstica. Esta polémica surge numa altura em que a história está a assombrar as relações sino-nipónicas, depois da aprovação dos manuais de história que supostamente omitem crimes de geurra japonmeses durante da IIGuerra Mundial e das manifestações anti-Japão do passado fim de semana na China. Quanto a esse assunto, o governo de Tóquio disse que os japoneses já reflectiram sobre os erros do passado e pediram desculpas aos países asiáticas invadidos nos anos 30 e 40.

2 comments:

anátema said...

Poderá, em tua opinião, haver alguma legitimidade no argumento segundo o qual se está já a assistir ao enfrentamento China/USA através do Japão?

Ma Tin Long said...

Sim penso que há sentido nesse argumento. Em Washinton alguns defendem abertamente que o Japão deverá ser um "Reino Unido" da Ásia Oriental.